Friday, December 5, 2008

MUDANDO A MENTALIDADE - II

“E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo.” – Jo 5:5

Qual é o pensamento que passeia pela mente de algumas pessoas? O mesmo que habitava a mente do paralítico do Tanque de Betesda?

Fomos educados para esperar pelos outros, com uma visão curta do nosso horizonte, tal como o homem deste texto bíblico.

É muito fácil compreender que uma pessoa com deficiência na mobilidade, que passa a vida toda recebendo a ajuda de outras pessoas continue se vendo com esta necessidade. Mas como compreender que uma pessoa que tem todas as condições para ser livre, para avançar, permaneça imóvel diante da vida, se vendo cheia de limitações?

Quando o paralítico deste texto foi questionado se queria ser curado, ao invés de dar prontamente a resposta afirmativa, apresentou desculpas para Jesus, culpando os outros pela sua condição. É que, como é citado na Bíblia em Jo 5:7, o enfermo precisaria entrar na água quando ela fosse agitada, mas isso não era possível porque sempre entrava alguém primeiro que ele, e somente o primeiro a chegar à água recebia cura.

A mente daquele homem lhe dizia que ele só permanecia paralítico porque ninguém tinha interesse em ajudá-lo. O que ele não conseguia perceber é que todos que se encontravam à beira daquele tanque também estavam ali por terem a mesma necessidade que ele. Em nenhum momento este paralítico se coloca no lugar dos demais, se mostra sensível às necessidades dos outros. Para ele o mais importante era ter o seu problema sanado.

Geralmente agimos como este moço, achando que a bênção é nossa simplesmente por desejarmos ou precisarmos dela, e com isso ficamos paralisados no tempo, nos auto-sabotando.

No livro "Os segredos da mente milionária" de T. Harv Eker (1), somos confrontados com a verdade de que cada pessoa é responsável pelas coisas que dão certo e também pelas que dão errado no seu dia-a-dia. Ele também ensina que “não basta estar no lugar certo na hora certa. Você tem que ser a pessoa certa, no lugar certo, na hora certa”.

Somos possuidores de um tanque de cura, a nossa mente. Deus já providenciou tudo para que tenhamos cura, Ele já enviou seu filho Jesus à cruz para que pudéssemos ser perdoados e curados de todo mal. Mas qual é a postura que você tem adotado diante das oportunidades?
Não faça como o paralítico do Tanque de Betesda, que ficou por trinta e oito anos esperando para receber sua cura porque alem da paralisia física, deixou-se paralisar mentalmente. Defina, imediatamente, o que você está esperando bênção e veja-se como a pessoa certa para receber o que Deus já preparou para lhe entregar. Essa é a forma mais rápida de você receber o que deseja!

Ana Cunha Araújo


(1) - HARV EKER, T. Os segredos da mente milionária; tradução Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro, Sextante, 2006.

Sunday, November 16, 2008

MUDANDO A MENTALIDADE

"Levanta, toma teu leito e anda.” Jo. 5

Lendo a Palavra de Deus, e como se ela fosse uma lente por onde eu pudesse ver minha própria vida, deparei-me com a história de uma pessoa cujo nome não foi citado: o paralítico do Tanque de Betesda. Esse moço estava simplesmente há trinta e oito anos em uma condição de paralisia.

Hoje, comparando a situação daquele homem com a minha vida e a de muitas pessoas de minha geração, fica claro para mim que mais grave que a paralisia física é a “paralisia” mental. Percebo que muitas vezes estamos com problemas na área financeira, nas relações profissionais e, principalmente, no relacionamento familiar por conta de não termos ampliado nossa mente, nossa visão.

O ambiente onde o paralítico encontrava-se, o tanque de Betesda, era rodeado por cinco alpendres, que correspondiam a cinco acessos diferentes. Aquele era um lugar procurado por pessoas com enfermidades. Todos que iam até lá tinham a mesma motivação: receber cura.

O que vemos no texto é que o paralítico encontrava-se no espaço, porém, permanecia imóvel, esperando que o sobrenatural acontecesse. Isso porque o lugar sozinho não era a garantia da cura, a atitude que se adotava, estando no lugar é que levava à mudança de situação. O interessado em receber a cura devia mergulhar no tanque quando o anjo movimentasse as águas, e somente o primeiro a fazer isso seria abençoado. A falta de mobilidade era um complicador para o paralítico, pois lhe deixava sem a mínima condição de competir com os outros que tinham uma necessidade parecida com a dele.

Temos uma tendência de sempre olhar para as nossas circunstâncias e perceber o que está em primeiro plano, mais perto de nós – e que inicialmente indica que não teremos acesso à mudança em nossas vidas.

Na situação apresentada neste texto bíblico o próprio lugar mostrava por onde o homem deveria começar a receber a cura: a mente.

Muitas vezes, estamos tão envolvidos com nossos problemas que não observamos nosso entorno e não percebemos que também temos diante de nós um tanque e que para acessá-lo somos dotados de cinco “caminhos”, que são os nossos órgãos sensoriais.

Chegou o tempo de percebermos que tudo em nós e nas nossas circunstâncias pode ser curado. É só uma questão de usar os acessos para permitir que a cura venha. Aguce seus olhos para que vejam as oportunidades que estão à sua frente, mas que a névoa emocional tem impedido que você veja; abra bem seus ouvidos para ouvir a doce voz do Espírito Santo, o nosso conselheiro, que sabe sempre qual é o melhor caminho para seguirmos; libere suas narinas para que possam sentir o cheiro das novidades que estão postas para sua vida; use sua boca para liberar a palavra profética, alinhada com a Palavra de Deus, que faz com que as coisas aconteçam e, por último, abrace as novas oportunidades.

O mesmo comando que Jesus deu para o homem paralítico é o que Ele nos dá. Não se permita ficar por mais tempo na condição em que você se encontra, avalie seus conceitos, mude de mentalidade e avance para a conquista!

Ana Cunha Araújo

Saturday, November 15, 2008

Inicio

Primeiro post pra ser alterado pela Ana.