Tuesday, June 14, 2016

LEVADOS À HONRAR


Quando nos deixamos ser conduzidos por Deus, estamos assumindo a postura de fidelidade, independente daquilo que possamos imaginar que nos acontecerá mais na frente.

Há uma mulher na Bíblia que tem me impactado muito, por sua resposta. Trata-se de uma viúva que vivia em um tempo muito crítico, pela seca que assolava sua cidade. Esta mulher, mesmo em sua limitação, foi separada por Deus para abençoar o profeta Elias.

1Rs 17.9 - Levanta-te, vai para Sarepta, que pertence a Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei a uma mulher viúva ali que te sustente.

Imagine você vivendo uma situação de crise onde suas forças parecem se esgotar e, de repente surgir alguém que precise de sua ajuda. Eu penso que muitas vezes somos conduzidos a viver padrões que não compreendemos para que os nossos limites sejam ampliados. Esta mulher achava que estava no fundo do poço, e que junto com ela também estava seu filho. O surpreendente é que Deus mostra que Ele faz do fraco o forte, Ele muda história e Ele dá o fim que quer dar para cada um de nós.

Esta mulher obedeceu a orientação do profeta e viveu o extraordinário, a promessa se cumpriu.

1Rs 17.13 e 14 - Ao que lhe disse Elias: Não temas; vai, faze como disseste; porém, faze disso primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois o farás para ti e para teu filho. Pois assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da vasilha não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até o dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra.


Que o Senhor amplie a nossa fé ao ponto de lhe obedecermos. Que a nossa obediência atraia o favor de Deus.


Pra. Ana Cunha

Veja mais sobre este assunto em:
https://anovamentalidade.blogspot.com.br/2016/06/ofertando-em-tempo-de-crise.html



Wednesday, June 8, 2016

RETOMANDO DE ONDE PAREI


2Rs 8.3 a 6 - Mas ao cabo dos sete anos, a mulher voltou da terra dos filisteus, e saiu a clamar ao rei pela sua casa e pelas suas terras. Ora, o rei falava a Geazi, o moço do homem de Deus, dizendo: Conta-me, peço-te, todas as grandes obras que Eliseu tem feito. E sucedeu que, contando ele ao rei como Eliseu ressuscitara aquele que estava morto, eis que a mulher cujo filho ressuscitara veio clamar ao rei pela sua casa e pelas suas terras. Então disse Geazi: Ó rei meu senhor, esta é a mulher, e este o seu filho a quem Eliseu ressuscitou. O rei interrogou a mulher, e ela lhe contou o caso. Então o rei lhe designou um oficial, ao qual disse: Faze restituir-lhe tudo quanto era seu, e todas as rendas das terras desde o dia em que deixou o país até agora.

Então um dia os nossos olhos se abrem e a gente vê que chegou a hora de retomar, pois toda dificuldade que nos levou para longe de nossa base, por uma razão ou por outra, uma hora já cessou.

O nosso histórico não apaga porque nos afastamos de um lugar, as nossas sementes plantadas não param de cumprir sua missão por conta de nossa ausência. As coisas continuam acontecendo mesmo quando estacionamos no tempo.

A mulher sunamita foi orientada a sair de sua terra e quando voltou a sua história ainda estava sendo contada. O rei, que tinha autoridade para decidir sobre o futuro dela naquele contexto, determinou que ele seria restituída, inclusive na renda de sua propriedade.

Que seja assim com você, que os motivos que lhe impedem de avançar percam a força e você possa fazer o caminho de volta, para deste lugar entrar no tempo de maior prosperidade de toda a sua história.

Pra. Ana Cunha